Header Ads

Advogada do PCC é presa por suspeita em mega-assalto no Paraguai

Sexta-feira, 05 Maio 2017
Advogada do PCC é presa por suspeita em mega-assalto no Paraguai
A Polícia Nacional do Paraguai prendeu nesta última terça-feira (02) a advogada Marcela Antunes Fortuna sob a suspeita de participação no mega-assalto à transportadora de valores Prosegur, em Ciudad del Este, no mês passado. Na ocasião, os bandidos levaram cerca de R$ 40 milhões. 

Marcela já era considerada foragida da Justiça brasileira após ser um dos alvos da chamada Operação Ethos, desencadeada pela Polícia Civil e Ministério Público de São Paulo em novembro de 2016, contra o setor de comunicação da facção criminosa PCC. 

Nessa operação, 35 advogados foram presos, mas Marcela e outros cinco advogados fugiram. Eles são suspeitos de transmitir recados e dados aos criminosos, inclusive para a prática de crimes. Até agora, 17 pessoas foram presas pelas polícias paraguaia e brasileira -sete foram soltos pela Justiça por falta de provas. 

Um dos suspeitos presos é Wellington Tiago Miranda, 35, considerado um dos chefes do PCC no Paraguai. O assalto a Prosegur aconteceu na noite de 23 de março deste ano, quando um grupo de criminosos usou bombas e fuzis para explodir as paredes blindadas da transportadora. Ele usou armamentos que as polícias brasileira e paraguaia não dispõem, como a metralhadora .50, capaz de derrubar aeronaves. 

Os bandidos chegaram a queimar carros e caminhões para impedir que policiais se aproximassem da sede da companhia. Na empresa, apenas três funcionários faziam a segurança. Um policial paraguaio foi assassinado. 

Depois de pegar o dinheiro, os homens fugiram em carros pela Supercarretera, rodovia que corta Ciudad del Este e passa próximo à usina de Itaipu, até a margem do rio Paraná, numa área conhecida como Lago Itaipu. Eles então usaram dois barcos em direção ao Brasil. 

Os bandidos preferiram usar o rio Paraná porque essa é uma rota com menos fiscalização do que a tradicional travessia pela ponte da Amizade. É pelo rio que contrabandistas e traficantes de drogas têm entrado com mercadoria no país. 

Parte dos ladrões que atacou a Prosegur chegou de barco ao distrito rural de São José do Itavó, na cidade paranaense de Itaipulândia. No local, depararam-se com policiais. Houve tiroteio e três suspeitos morreram -outros foram detidos. Parte do grupo fugiu para cidades como Santa Helena e Cascavel. 

Segundo a PF, já foram recuperados R$ 4,5 milhões do total. Dois barcos foram apreendidos -dentro deles havia fuzis abandonados. (O Povo Com a Notícia/Via: Folhapress)
Nilson Macedo. Tecnologia do Blogger.